Recados
Home / Projetos / Roda de Leitura

Roda de Leitura

Tenho certeza de que a leitura não é comparável a nenhum outro meio de aprendizagem e de comunicação, porque ela tem um ritmo que é governado pela vontade do leitor; a leitura abre espaços de interrogação, de meditação e de exame crítico, isto é, de liberdade; a leitura é uma correspondência não só com o livro, mas também com nosso mundo interior através do mundo que o livro nos abre (Italo Calvino)

A leitura e a escrita são ferramentas essenciais para a apropriação de variados saberes. Utilizando essas habilidades, o educando será capaz de apresentar bom desempenho em todas as disciplinas e, quanto mais cedo for estimulado, melhores resultados serão obtidos.
As habilidades LER, ESCREVER, OUVIR e FALAR são, portanto, essenciais para que ocorra um desempenho pleno em todas as disciplinas.

Em conversas com os alunos é possível observar que a dificuldade em resolver um problema de matemática (física e química, também, posteriormente) não está centrada, especificamente, na “conta” que deve ser feita e, sim, em descobrir o que deve ser feito. Em Língua Portuguesa, muitas vezes, o aluno não responde às questões de interpretação de texto, ou o faz de forma inadequada, porque não leu todo o texto ou, o que é mais comum, não conseguiu ler através do texto, aguardando apenas questões de verificação de leitura. Em História e Geografia, a questão se repete: se o enunciado da questão for um pouco mais extenso, ou seja, apresentar duas ou mais linhas, a dificuldade está centrada em decodificar o que é pedido, mesmo que o aluno consiga, claramente discutir os assuntos questionados. O fato também é observado quando existem duas ou mais interrogações na mesma questão: apenas a primeira ou a última será respondida pela grande maioria dos estudantes.

Isso posto, torna-se importante a análise de cada uma das habilidades acima citadas para que seja possível expor o objetivo deste projeto. Cada uma das habilidades é trabalhada pela escola mas, às vezes, não surte os efeitos desejados. O que é normalmente encontrado, em relação a cada habilidade:

• Ler: a leitura acontece na escola a partir do momento que a criança inicia o processo de alfabetização . Atualmente, há a preocupação de, desde a Educação Infantil, oferecer-se um material rico, de diferentes portadores (revistas, livros, gibis, jornal, etc.), fato que distancia a leitura feita pelas crianças daquela comumente realizada na época da cartilha: O bebê baba, por exemplo.
Qual o tipo de leitura normalmente oferecido? Os alunos lêem livros paradidáticos, previamente selecionados pela escola, e que são escolhidos por adequarem-se ao planejamento daquele ano. Os autores apresentados aos alunos, normalmente, são característicos da literatura infantil e infanto-juvenil atual; algumas vezes, são utilizadas releituras de obras conhecidas e “simplificadas” para determinada faixa etária.

• Escrever: essa é a habilidade mais estimulada nas escolas. O aluno é convidado a escrever em todas as disciplinas, seguindo modelos e padrões que lhe foram apresentados durante a vida escolar. Poucos são os alunos que realizam outras leituras além das propostas pela escola, apesar de demonstrarem interesse por leituras que possam acrescentar informações sobre suas atividades esportivas preferidas, por exemplo.

• Ouvir: é possível a reflexão, nesse aspecto, sobre os “modelos leitores” de nossos alunos. Que atividades de “escuta” de leitura a escola promove? Muitas vezes, os modelos de leitura são os próprios colegas: um deles começa a leitura do texto e o seguinte continua. Outras vezes, a leitura deve ser silenciosa, para não atrapalhar os colegas. O professor, enquanto modelo leitor, na maioria das vezes, faz leituras de enunciados ou de trechos de textos: a leitura com a entonação adequada de um texto literário acontece com pouca freqüência, normalmente porque os alunos dispersam nesses momentos.

• Falar: nos debates e discussões os alunos têm a possibilidade de elaborar seu discurso oral e, sem análise prévia, manifestar-se em grupo. Essa atividade, além de favorecer o desenvolvimento de um vocabulário adequado à cada situação, contribui, emocionalmente, com o educando que, gradativamente, sente-se mais seguro ao expor-se perante o grupo. Porém, nem sempre é possível que o aluno amplie seu repertório nesse tipo de comunicação oral, fato que pode ser evidenciado após leituras regulares de textos de diversos portadores.

O Objetivo desse projeto, portanto, é contemplar cada uma das habilidades acima utilizando-se de atividades realizadas em 3 momentos: na biblioteca da escola, em casa e na sala de aula (não, necessariamente, nessa ordem), fomentando uma cultura de valorização da leitura na escola e na comunidade, fortalecendo a relação entre elas.

Proposta de trabalho

Biblioteca: Na biblioteca os alunos têm contato com os diferentes portadores de texto, circulantes, que são levados para casa e devolvidos em data previamente estipulada. Além disso, nesse local acontece grande parte do projeto, encaminhados pelo leitor guia. A cada trimestre, um gênero, um autor ou uma escola literária podem ser escolhidos e o trabalho de sensibilização acontece sempre no espaço da biblioteca, e em roda, disposição em que todos podem ver e serem vistos, ouvir e serem ouvidos, não há predominância de um aluno em relação ao outro. O ouvir e o ler podem acontecer nesse espaço.
Sala de aula: a troca de informações sobre as leituras realizadas acontece nesse espaço, privilegiando-se o escrever e o falar. Os professores, de acordo com seus objetivos e com a faixa etária de seus alunos encaminham as estratégias a serem desenvolvidas.

Casa: o envolvimento da comunidade escolar é determinante para o sucesso do trabalho realizado na instituição. Os pais podem ser convidados a contar histórias em sala de aula, recomendar um livro lido, auxiliar a realização de uma determinada leitura e, principalmente, garantir o bom estado dos livros quando em sua devolução. Para que isso aconteça, os pais devem ser comunicados antes do início das atividades e responsabilizar-se, juntamente com os filhos, pela manutenção do material.

Acredita-se que, a valorização da leitura contribui, e muito, para a formação de cidadãos críticos, reflexivos e atuantes. A escola, nesse aspecto, deve priorizar os momentos de discussão sobre os textos livros, contribuindo para a formação almejada.

Lilian Cassia Bacich Martins
Mestre em Educação: Psicologia da Educação (PUCSP), Bióloga, Pedagoga com especialização em supervisão escolar, administração escolar e orientação educacional pela USP. Atua como Coordenadora Pedagógica de Educação Infantil e Ensino Fundamental no Colégio Nossa Senhora de Lourdes – Água Rasa/SP e como Professora de Teorias da Aprendizagem Uninove/SP.